Minhas Folhas de Relva

percepções do cotidiano em letras livres

O Pipoqueiro 30/04/2010

Filed under: Cotidiano — Aline Moraes @ 7:33 PM
Tags: , , , ,

“Será que vender pipoca dá dinheiro???” era o que eu vivia me perguntando… Aonde quer que se vá, lá está um pipoqueiro, com o carrinho metade branco, metade vermelho.

Certa vez, quando fui ao Espaço Unibanco na Augusta assistir a um estreia, vi um senhor de uns 60 ou 70 anos vendendo na porta. Uma cara de zangado… Não devia estar vendendo muito apesar da fila. Eu fiquei só observando, torcendo para alguém comprar. Tive vontade de conversar com ele, mas seu semblante não era nada convidativo. Deixei pra lá a vontade, mas a pulga continuou atrás da orelha (clichezão, mas tá valendo).

Semana passada, cheguei ao terminal de ônibus Santana e chovia. Meu ônibus ainda não estava para sair, eu estava com fome e tinha exatos R$1,80. Avistei o pipoqueiro. Ele aceitou fazer por menos 20 centavos. Como ele foi simpático, resolvi finalmente puxar papo com alguém da classe.

Descobri que vender pipoca pode, sim, ser um ótimo negócio. Ele me disse que vende uma média de 120 saquinhos por dia, a R$2, e com isso consegue um lucro líquido de R$3 mil por mês! Fiquei impressionada! É mais do que eu ganharia trabalhando como repórter recebendo o piso da categoria! E olha que ele tira isso trabalhando até 5 horas por dia. Pra ganhar quase o que ele ganha, eu teria que trabalhar por 7 horas diárias. No restante do dia, ele faz bicos pra complementar a renda. E está conseguindo juntar uma grana para comprar uma casa na praia! Não é o melhor investimento, mas, para ele, deve ser uma grande realização.

Eaí, gostou da “oportunidade de negócio”??? Mas ser pipoqueiro não requer apenas dirigir seu carrinho com milho, sal e groselha até um ponto qualquer. Ter onde estacionar seu negócio ambulante custa – e não é pouco. O pipoqueiro (meu, não perguntei o nome dele, que falha…) pagou R$5 mil pelo ponto onde ele faz suas vendas, na última plataforma do terminal de ônibus de Santana, junto ao metrô. Fiquei abismada! Como assim pagar para vender na rua??? Para quem???!!! “Pro cara que vendia pipoca aqui antes de mim”.

A conversa estava tão interessante, tão reveladora (rs) que eu só percebi que meu ônibus já estava partindo quando ouvi o barulho do motor arrancando. “Já era”, pensei, enquanto meu interlocutor contava sobre seu sonho de consumo imobiliário. “Tudo bem”. Disfarcei e continuei conversando e comendo minha pipoca. Ônibus, logo chega outro.

Finda a conversa (ele já estava indo embora, de dia de chuva ele parte mais cedo porque consegue vender bastante), fui para casa encucada. Jurava que isso de vender ponto era ilegal, que o pipoqueiro anterior se aproveitou do meu entrevistado sem nome. Quão surpresa não fiquei quando descobri (pela minha mãe, que é advogada) que essa prática tem nome: chama-se ponto comercial, reconhecido pelos “usos e costumes do Direito Comercial”, existe desde o período romano e não é proibido (ou defeso, no chato juridiquês) por lei.

Em outras palavras, você paga pelo ponto que outra pessoa criou. Afinal, alguém antes de você teve o trabalho de escolher o lugar e criar entorno dele uma clientela. Isso vale dinheiro. Valeu para o meu pipoqueiro R$5 mil reais que ele já conseguiu pagar com as pipocas vendidas. Agora, ele pode poupar para sua casa na praia.

Fiquei mesmo impressionada! Nunca subestime um pipoqueiro. Ele é seu próprio patrão e pode ganhar mais do que você…

 

One Response to “O Pipoqueiro”

  1. Aline Moraes Says:

    Percebi que leitores chegam ao blog pesquisando se “vender pipoca dá dinheiro”. Resolvi buscar essa frase no Google e, vejam só!, este post é o terceiro no ranking do Google! Wow!


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s