Minhas Folhas de Relva

percepções do cotidiano em letras livres

O sonho 12/07/2016

Filed under: Sem categoria — Aline Moraes @ 9:32 AM

Foi dia 30 de Junho. De 2016. Um ano depois que aterrisei em solo alemão. Foi também o dia em que o Wanja me deixou presa na varanda.

Sim, presa. Ele saiu pra faculdade e, no automatismo, trancou a porta que liga a sala à área externa. Só percebi horas depois, porque estava num “skype date” com uma amiga. Passei duas horas isolada, sem celular (ficou na sala), sem computador (a bateria acabou).

Minha sorte é que ainda consegui falar com o Wanja pelo chat do Facebook antes que o laptop desligasse de vez (eu não sabia o telefone dele de cor para que minha amiga pudesse entrar em contato. Olha o que a modernidade faz…). Não fosse isso, eu teria que esperar, tipo, até a noite… Wanja chegaria e me encontraria de barba conversando com o Wilson rs.

Pra passar o tempo, eu observei o céu, a árvore no quintal, fechei os olhos e ouvi os passarinhos, o barulho dos carros e alguém mexendo em alguma máquina aqui na vizinhança. Mas essa “meditação” não durou muito, não. A solução foi… dormir.

varanda

Fiz a cama na varanda…

Dormi e até sonhei em alemão. Sonhei que o Wanja chegava e dizia “Olha! Você descobriu um lugar novo!”. Acordei pensando que era verdade, mas a porta continuava trancada. Ele chegou uns 20 minutos depois. A primeira coisa que fiz foi correr pro banheiro pra esvaziar a bexiga… ‪#‎HappyFirstYearInDeutschland‬

Eu compartilhei essa experiência no Facebook e recebi de um querido amigo, também em solo alemão, o seguinte comentário: “Aline, você descobriu um lugar novo! Que tal a vida de exploradora?”. Eu não entendi a princípio… Para mim, a “descoberta” se tratava de ter encontrado um novo lugar pra dormir. Para mim, era disso que o Wanja estava falando no sonho. E era disso que meu amigo estava falando também.

“Moça, você não tá entendendo seu próprio sonho!, rebateu o amigo. “Acho que você está lidando com o fato de estar num lugar novo, tanto fisicamente, quanto emocionalmente. Essa data marca como você descobriu um novo lugar em muitos sentidos: emocionalmente, socialmente, fisicamente… Por mais que o Wanja te ajude, essa jornada é muito íntima. É como se você fosse uma exploradora!”.

A gente leva a vida tão a sério, e tão literalmente, que deixa passar coisas sutis e tão profundas… que nos preenchem de significado, se soubermos ouvir e ver – às vezes, with a little help from our friends😉

Foi 30 de Junho de 2016. O dia em que eu fiquei presa na varanda para refletir sobre abrir portas, sobre pisar outros caminhos, sobre expandir nossos limites. Exploradora.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s